Reforços milionários, Montillo e Ganso fazem “jogo da vida” na Vila

Publicado: 3 de fevereiro de 2013 em esportes
03 de Fevereiro de 2013
Contratação mais cara da história do Santos, meia argentino ainda não vingou Foto: Helio Suenaga / Gazeta PressContratação mais cara da história do Santos, meia argentino ainda não vingou
Foto: Helio Suenaga / Gazeta Press

KLAUS RICHMOND
DIRETO DE SANTOS

Santos e São Paulo realizam neste domingo, às 17h (de Brasília), na Vila Belmiro, o primeiro grande clássico do Campeonato Paulista recheado por encontros esperados, mas centralizado, principalmente, pelo duelo de duas das contratações mais caras da história do futebol brasileiro. A partida colocará frente a frente Paulo Henrique Ganso e o argentino Walter Montillo, reforços que juntos totalizaram R$ 39,9 milhões em gastos por seus times, e que ainda buscam justificar altas cifras.

O jogo também marca o primeiro teste como rivais entre Neymar e Ganso, companheiros em seis títulos pelo Santos, em diversas convocações para a Seleção Brasileira e aparições extracampo.

A aposta sugerida pelo santista e acatada pelo são-paulino pode envolver mais do que um jantar, mas a futura titularidade do camisa 8 no clube paulista. Montillo, por sua vez, deve apelar à ajuda do ex-parceiro do rival para se consagrar.

Montillo, o novo 10 não quer ser Ganso
Montillo participou de todos os cinco jogos do Santos na temporada, mas ainda não engrenou. Teve como momento mais efetivo a comemorada assistência para um gol de Cícero e ainda tem o desempenho tímido justificado por não estar no melhor da forma física. O argentino já externou que sente o “peso” por ser o reforço mais caro da história do clube.

“Estou ruim de memória (de quanto custei)”, brincou. “Mas, com certeza, aqui existe um peso a mais com a camisa 10 do Pelé, que o Ganso jogou. Não sei se é um peso, mas tenho a obrigação de fazer o melhor porque o investimento foi muito grande e a negociação foi muito difícil, o Cruzeiro não queria me liberar. Sei de tudo isso, espero pagar com vitórias, bons jogos e o título paulista”, afirmou o jogador.

O atual camisa 10 chegou ao Santos em meio à pré-temporada, já em janeiro, por 6 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) e fez avaliação modesta a seu desempenho até então: apenas “nota 5”.

O Santos lidera a competição com dez pontos. O único tropeço ocorreu, justamente, na melhor atuação da nova contratação, diante do Bragantino. Para o jogo, o técnico Muricy Ramalho poderá incluir mais um compatriota de Montillo, o também argentino Miralles na vaga de André. O zagueiro Neto, recuperado de pisão no pé, deve retornar.

“O problema que pode existir entre o Ganso e a torcida do Santos não é meu. Tenho de ficar fora. Não gosto de falar de outros jogadores. O Ganso é um ótimo camisa 10, um dos melhores atualmente no Brasil. Mas não quero conquistar a torcida em um clássico, nem ser um novo Ganso, e sim jogo a jogo”, garantiu.

Com isso, o provável Santos para o clássico é o seguinte: Rafael; Bruno Peres, Neto, Durval e Guilherme Santos; Renê Júnior, Arouca, Cícero e Montillo; Neymar e André (Miralles).

Ganso enfrentará Santos pela primeira vez desde a saída do clube (Foto: Marcelo Pereira/Terra)

Ganso, a chance para engrenar no rival
A chance foi externada somente na sexta-feira pelo técnico Ney Franco. Após perder a titularidade, Paulo Henrique Ganso voltará a jogar de início justamente no clássico mais importante da carreira, o primeiro reencontro com o Santos desde a polêmica saída e a grande oportunidade de convencer o atual treinador a adequar um novo esquema para utilizá-lo como titular.

Ganso busca agora um recomeço na carreira. Recuperado de lesão muscular que o tirou de boa parte do último semestre, o agora camisa 8 garante que comemorará gols contra o antigo clube, mas espera por respeito da torcida santista.

“Se eu fizer um gol vou comemorar sem menosprezar a torcida e sem menosprezar o adversário. Eu ajudei a conquistar muitos títulos lá, ao lado de grandes jogadores e acho que essa lembrança é muito boa. Por isso, espero que eu tenha uma boa recepção lá”, afirmou.

A superação de Ganso no ano iniciou com a titularidade durante toda a pré-temporada, mas acabou brecada por reserva inesperada para jogo decisivo contra o Bolívar, pela Libertadores. O meia ainda marcou o primeiro gol após longos meses e voltou a ganhar a chance que desejava.

Ney Franco, por sua vez, ainda não confirmou a equipe, garante ser “Ganso e mais dez”, e deve escolher Douglas como jogador a sair para a manutenção de Paulo Miranda como lateral marcador, além da entrada de mais um homem de meio, função imposta ao ex-santista.

O São Paulo deve ir a campo com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denílson e Ganso; Jadson, Osvaldo e Luis Fabiano.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s